Skip navigation

Category Archives: twitter

AX055372

O blog da HSM publicou este “post” ou “artigo”, chamem como quiser, sobre o “consumo” diário das curtas do Twitter. O post faz uma analogia entre 2 conceitos do mundo corporativo, o “Exploitation” e o “Exploration”, trazendo-os para o mundo do Twitter.

Conceituando
O processo de “Exploitation” gera conhecimentos incrementais, com retornos moderados, mas certos e imediatos. “Exploration”, em contrapartida, é um processo altamente incerto e imprevisível, refletindo a capacidade de uma empresa para adquirir novos conhecimentos e não apenas aprender como utilizar o conhecimento atual de forma mais eficiente.

No caso de “Exploitation” em excesso, desenvolvimento de competências já existentes significa que as organizações tornam-se melhor em fazer coisas que elas fazem repetidamente e com sucesso, mas pode torná-las menos competentes nas atividades que fazem raramente e sem sucesso.

Quando o assunto é “Exploration” em excesso, presente em empresas reconhecidas pela capacidade de gerar, adquirir e integrar tanto fontes externas como fontes internas de conhecimento, a exposição a novos conhecimentos é benéfica até certo ponto, mas em excesso pode se tornar uma nova fonte de confusão e sobrecarga de informação e, consequentemente, um desempenho organizacional sofrível.

twitter-wallpaper1

Analogia com o ambiente Twitter
Assistimos hoje a uma enxurrada de informações, sobre vários temas, igualmente interessantes e, ao mesmo tempo, uma falta de disponibilidade nossa para procurar assimilá-los. Pulamos algumas etapas na captura de informações porque vivemos numa lógica social onde o que ainda vai ser dito já virou antigo e, assim, como uma bola de neve, nunca saciaremos nossa fome por informação. O problema é que não há apreensão neste processo, pois as etapas são puladas.

Ao achar que o twitter, por ser um microblogging, não gera tanto conteúdo como os blogs, tapamos os nossos olhos para uma visão distorcida sobre a potencialidade da ferramenta. O micro-blogging na verdade deveria ser chamado de super-blogging, porque suas manchetes “curtas” potencializam as notícias e as informações divulgadas nos “longas”. São msgs rápidas e curtas que tentam nos seduzir para entrarmos num link de um blog com mais trocentos caracteres.

Não entender essa lógica é o mesmo que você negar o benefício real da ferramenta. Para mim, as etapas envolvidas neste processo são: as fontes de informação disponíveis (usuários), a segmentação dessas fontes (following), a seleção das informações (favorites) e, por fim, a apreensão. Alguns aplicativos ajudam a organizar essa avalanche de informações que o twitter despeja. Um deles é o TweetDeck, que permite você agrupar as tags.

Vamos tentar balancear o “Exploration” e o “Exploitation”, buscando aprender e assimilar as novas competências, ou informações, que estão aí disponíveis.